quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O PRECONCEITO E AS SUAS CONSEQÜÊNCIAS


O preconceito desde o começo dos tempos causa fome, miséria, ódio, raiva, politicagem, egoísmo e inveja. Da maneira como algumas pessoas tratam o problema, o preconceito parece o menor deles- o que não é verdade. O preconceito desde o começo dos tempos causa fome, miséria, ódio, raiva, politicagem, egoísmo e inveja. ? Só pensar! Não, não estou fazendo uma tempestade num copo d?água: o preconceito de um país com outro, de uma raça com outra ou de uma religião com outra começa de um preconceito de um indivíduo com outro e que se transforma num nesses grandiosos problemas que acabam muitas vezes dizimando toda uma geração de seres humanos. É uma palavra que parece comum, mas é muito pesada e causa grandes conseqüências, se verificarmos a história da humanidade, constataremos o quando foram danosas as ações preconceituosas de muitos sistemas e pessoas hipócritas que escondiam e disfarçavam tais atitudes que foram responsáveis por inúmeros genocídios. Existem, também, aqueles que escancaradamente agem de forma preconceituosa sem, sequer, dá satisfação à sociedade dos seus atos grotescos de descriminação, segregação e desprezo. O preconceito nasceu com o homem.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O Cérebro de um Racista


Esta campanha apoiada pela Commission for Racial Equality procura demonstrar que não existem diferenças ao nível da capacidade cerebral entre as diferentes raças humanas. Pelo contrário, já se podem verificar essas diferenças entre uma pessoa sem preconceitos e um racista, caracterizado como tendo um cérebro mais pequeno. A ideia é boa e a execução gráfica também, mas reduzir a questão do preconceito racial a menor capacidade cerebral é enganador. Existem outras condicionantes mais relevantes que explicam o fenômeno sendo que essas sim deveriam ser alvo das preocupações das associações e instituições que combate esta forma de preconceito.

Hi Hitler


Skinheads, ou carecas, são jovens simpatizantes do nazismo, que se mostram intolerantes com minorias, pregando o combate a negros, judeus, homossexuais e nordestinos. Apesar das cabeças raspadas, nem todos adotam o mesmo visual_coturno, jeans, tatuagens, roupas do exército_ e muitos rejeitam a classificação "skinhead", por ser uma palavra norte-americana. Existem vários grupos de skinheads. O mais conhecido é o Carecas do ABC, responsável pela morte do adestrador Edson Neris da Silva, em fevereiro, na praça da República, centro de São Paulo. Outros grupos conhecidos são os Carecas do Subúrbio e os Carecas do Brasil. A presença feminina no movimento dos carecas só foi notada depois da morte do adestrador, quando duas mulheres foram presas, acusadas de participar do crime.

COTAS E RACISMO


Colocando cotas para qualquer raça, os governantes mostram-se preconceituosos e detentores da opinião de que a raça negra não é tão bem dotada de inteligência quanto as outras, pois, reservando vagas especiais, considera a capacidade de raciocínio dos negros inferior, incapaz de concorrer em iguais condições com pessoas de outra cor. Esta polêmica, que nos faz lembrar a péssima qualidade das escolas estatais, levanta algumas questões: será que o mais coerente não seria fornecer vagas para estudantes de colégios públicos? Será que o investimento na educação não deveria ser priorizado no lugar do pagamento integral dos abusivos juros cobrados pelo Fundo Monetário Internacional? Por que, mesmo depois de tanto tempo, os negros continuam a ser, em sua maioria, pobres? Será que a desigualdade social não é o mal por trás de todos os outros no nosso país?

O RACISMO


O racismo é a tendência do pensamento, ou do modo de pensar em que se dá grande importância à noção da existência de raça shumanas distintas e superiores umas às outras. Onde existe a convicção de que alguns indivíduos e sua relação entre características físicas hereditárias, e determinados traços de caráter inteligência ou manifestações culturais, são superiores a outros. O racismo não é uma teoria científica, mas um conjunto de opiniões pré concebidas onde a principal função é valorizar as diferenças biológicas entre os seres humanos, em que alguns acreditam ser superiores aos outros de acordo com sua matriz racial. A crença da existência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes para justificar a escravidão, o domínio de determinados povos por outros, e os genocídios que ocorreram durante toda a história da humanidade.

O preconceito racial


O preconceito racial é um dos problemas mais falados ate hoje,e um dos crimes mais fortes.As leis q existem contra o preconceito racial parece que não fazem muito efeito ,pois assim mesmo ele continua existindo.Isso é uma das coisas mais injustas que tem,julgar o outro apenas pela cor.Quem acredita nas leis de Deus,que diz que todos somos iguais e que todos somos irmãos,mesmo assim eles julgam os outros pela cor .A maioria das vezes são os brancos que “jogam pedra” nos negros só porque acham que são superiores por ter muitos negros morando em favelas ou por terem seus antepassados como escravos,o que os leva a julgar seus “irmãos” pela cor e falam e agem como se os negros não fossem seres humanos,não tivessem sentimentos.Quem tem preconceito não aceita viver ou respirar o mesmo ar do negro e acha que estão certos,assim eles não ficam com medo da lei por se acharem superior,mais na verdade apenas paga para não ser preso,e ai como fica a justiça? Essa é uma pergunta que vamos fazer pro resto da vida.Existe também o preconceito racial dos negros com eles próprios de não aceitarem sua cor,por já terem sofrido o preconceito ou por ter medo de sofrer algum dia,e acabam tentando mudar ate fisicamente e ate mudando suas raizes.Só acabaremos com o preconceito discutindo sobre ele,nas escolas,nas comunidades,etc.Pois só assim finalmente entenderemos que podemos ser diferente na cor mais pertencemos a mesma raça que é a “RAÇA HUMANA”.

O racismo no Brasil

O racismo no Brasil
A gente sempre costuma ouvir que, no Brasil, não há racismo. Eu até concordo com essa afirmação em parte. O racismo no Brasil é mais sutil do que a pura e simples aversão ao negro. Nosso racismo é estudado e cuidadoso. Contudo, nem por isso podemos tratar o racismo em nosso país como uma epidemia ou uma causa quase religiosa que mereça vingança e sangue para ser seguida. Sou branco, descendente de europeus. Mas, e daí? O que as pessoas precisam entender é que raça (negra, branca, vermelha, amarela ou roxa) é algo apreciado e querido pelos estúpidos e ignorantes. O preconceito contra o diferente (esse sim é forte e real) é o que move o preconceito “racial”. No Brasil esse preconceito é muito mais social do que propriamente em relação a cor da pele das pessoas.

Vídeos

Loading...